quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Extremismo do amor!

Não sou poeta, não sei nem aprendi a arte de burilar as palavras e jogar com elas, preocupando-me com os aspectos formais. Esse textinho, nasceu assim de improviso e se intitula
"Paradoxos do amor"

Ausência de diálogo,
Conversas excessivas.

Sentimento afoito, de improviso,
Amor ritualizado, no paraíso.

Filhos nascidos para o amor,
Cuidados para evitar a dor.

Preocupações pragmáticas,
Teorias amenas.

Queixas banais,
Equívocos fatais.

Arriscar-se sem pensar em si,
Em si só pensar por amar.

Coisas da vida
Endurecida ou
Enternecida?

5 comentários:

Anônimo disse...

(...) eu sentia que a poesia viria, eu sabia... viria e encantaria... se tardaria, eu não sei, mas um dia ela viria... ah, viria!

Rosa Amélia disse...

Obrigada pelo encantaria. Mas o seu comentário tem mais poesia do que o meu texto.
Você é o poeta.
Beijinho...

Guilherme Guimarães Jr. disse...

Você, de fato, me surpreende a cada dia.

Parabéns pelo talento.

Rosa Amélia disse...

Obrigada, Gui, ser sua amiga é tão bom, você massageia o meu ego...
Talento aqui só se for o chocolate Talento... Ou pode ser o Tá lento, né? (rsrsrsrs)
Beijinho no coração..

Night Angel disse...

Rosinha, eu não conhecia esse seu lado lírico. Meus parabéns por a cada dia fazer mais felizes as pessoas ao seu redor com talento, carinho e e o seu jeitinho alegre, que só você pode ter.